Inteligência artificial moldará o 6G - Dia Brasil News - Notícias de Última Hora Tecnologia,Entrenimento,Humor

ULTIMAS

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Inteligência artificial moldará o 6G


Geração de transmissão de dados, e ela será moldada pela inteligência artificial. A conclusão é dos pesquisadores Razvan-Andrei Stoica e Giuseppe Abreu, da Universidade Jacobs em Bremen, na Alemanha.

Quais os fatores que ambos consideravam os propulsores para o desenvolvimento do 6G. As respostas convergiram para um só elemento: a inteligência artificial. Segundo a dupla de pesquisadores, a IA será a propulsão para a tecnologia móvel e toda uma nova geração de aplicativos voltada para a inteligência de máquinas.

Clara presença da IA. "Para aproveitar o verdadeiro poder de tais agentes artificialmente inteligentes, a IA colaborativa é a chave. E pela natureza da sociedade móvel do século 21, fica evidente que isso só poderá ser alcançado por meio de comunicações sem fio", dizem Stoica e Abreu. Se eles estiverem certos, a inteligência artificial será a força motriz que moldará as redes de comunicações do futuro.

As estações-base 5G, por exemplo, lidam com até um milhão de conexões, enquanto as do 4G suportam quatro mil, e essa diferença pode ser sentida quando multidões como as que se reúnem em eventos esportivos, shows etc acessam a banda larga via celulares.

Latência de um milissegundo, o 4G registra o tempo de 50 milissegundos. Se isso é significativo para quem é gamer, basta pensar quanta diferença 49 milissegundos podem fazer em uma cirurgia executada à distância, usando conexão móvel. Se o 5G oferece velocidades de download de até 600 megabits por segundo (e esse valor pode ser ainda maior), amplie esse valor para 1 terabit e chegamos ao 6G.

Isso se traduz, por exemplo, na coordenação de carros autônomos em uma grande cidade como Nova York, cujas vias têm um tráfego diário de 2,7 milhões de veículos.

Pedestres e outros veículos autônomos; e, ainda, precisarão tomar decisões como quando atravessar um cruzamento, fazer uma ultrapassagem ou ceder a vez. Para fazer isso tudo, os veículos terão que criar e abandonar numa fração de tempo redes dinâmicas ao mesmo tempo em que se integram a redes mais amplas ao longo da viagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário