Filme Procurando Dory - Dia Brasil News - Notícias de Última Hora Tecnologia,Entrenimento,Humor

ULTIMAS

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Filme Procurando Dory


A peixinha com perda de memória recente e cheia de carisma interpretada por Ellen DeGeneres é a melhor coisa de um filme muito bom. Treze anos depois ela é o centro da atenção, e não vai deixar que ninguém roube seu longa metragem.

Recife só se passou cerca de um ano desde a grande jornada de Marlin (Albert Brooks/Júlio Chaves) e Nemo através dos oceanos. E Dory com sua "nova família", quando um insight de seu passado e lembra que tem pais. Tão determinada quanto desmemoriada, a peixinha azul decide fazer de tudo para reencontrá-los, e arrasta Marlin e Nemo com ela. Adivinhou quem imaginou que essa nova jornada vai ser tão longa, perigosa e louca quanto a primeira.

Enquanto no primeiro filme acompanhamos um pai superprotetor à procura de seu filho. Agora e uma filha que sai em jornada em busca dos pais. A diferença são as situações no caminho. Mas o tema continua o mesmo, a importância da família, seja ela a biológica Jenny (Diane Keaton) e Charlie (Eugene Levy), ou a adquirida pelo caminho Nemo e Marlin.

Mundo no nº42 da Wallaby Way em Sydney). Não fazemos ideia do paradeiro dos pais de Dory, ou mesmo se o casal ainda está vivo. Tudo que sabemos sobre eles, vem de lembranças ativadas na memória da protagonistas por referências aleatórias.  O uso constante destes flashbacks é a novidade narrativa na franquia essencial para o desenvolvimento da trama, já que Dory é movido por eles.

Pontas especiais, e muitos novos personagens para se apegar. O destaque fica com o polvo mal-humorado Hank (Ed O’Neill/Antônio Tabet), que além de sua personalidade ambígua é um excelente meio para que Dory possa passear em terra firme, já que a interferência humana na aventura é ainda maior. Mesmo que os humanos não façam ideia da jornada que se desenrola à sua volta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário