Pets A Vida Secreta dos Bichos - Dia Brasil News - Notícias de Última Hora Tecnologia,Entrenimento,Humor

ULTIMAS

domingo, 3 de novembro de 2019

Pets A Vida Secreta dos Bichos


Grandinhos ficaram ansiosos pela animação. Infelizmente para eles, a ideia ocupa poucos minutos do filme, que à exemplo de outras produções do estúdio (responsável por Minions), não demora para se aventurar em um mundo frenético e colorido. Em sua defesa, para as crianças funciona muito bem.

Até que a moça resolve levar Duque (Eric Stonestreet/Tiago Abravanel) para casa. O ciúme impera, e os cães logo começam a disputar território, até que a briga os leva a ficar perdidos em Nova York. A dupla vai encontrar os mais absurdos perígos que uma cidade grande pode oferecer, que vão desde a carrocinha até uma gangue de bichos anti-humanos liderada por um coelho perturbado (Kevin Hart/Luis Miranda), e no caminho aprendem a conviver. Em casa os amigos de Max, outros "pets" da vizinhança sentem sua falta e saem ao seu resgate, comandados por Gidget (Tatá Werneck).

Com o time de vozes famosas em ambas a versões. E já que estamos falando de referências a bicharada solta algumas no percurso que provavelmente apenas os crescidinhos vão perceber. Falas de O Mágico de Oz, Quanto Mais Quente Melhor,  uma tartaruga com comportamento de video-game em uma tubulação (este é piscou perdeu), até um perturbador número de Grease encenado por salsichas. E isso é tudo que um adulto vai aproveitar da aventura.

Correria por uma Nova York super colorida, é embalada por canções pop. Além de trazer muitas piadas físicas, que agradarão os pequenos. Garantindo a venda de produtos licenciados e quem sabe até uma sequência.

De fato, o adulto que pensar muito vai acabar se questionando, sobre termos como "Donicídio" (sim os bichinhos falam em matar seus donos), e do incentivo a fazer bagunça quando os pais humanos não estão olhando.

Pets - A Vida Secreta dos Bichos é eficiente no que se propõe entreter os pequenos. Infelizmente a maioria deles ainda não vai aos cinemas sozinhos, o que pode resultar em uma hora e meia de tédio para os pais. Especialmente aqueles não aficionados por animais, que não aproveitarão nem aquele breve momento de identificação inicial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário