Teoria defende que vida foi 'capturada'


Local mais movimentado e a Terra mais vulnerável a colisões e “raspões” com corpos celestes como asteroides e cometas, pode que micróbios que já habitavam por aqui tenham aproveitado para pegar carona com essas rochas espaciais, se espalhado pelo cosmos e até povoado planetas orbitando estrelas distantes.

Astrofísicos Amir Siraj e Avi Loeb, da Universidade de Harvard, nos EUA, e, de acordo com Rafi Letzter, do site Live Science, embora a proposta tenha sido recebida com ceticismo por alguns cientistas, outros acreditam que foi mais ou menos assim que a vida chegou até o nosso planeta – por meio de rochas espaciais que colidiram por aqui,então se trata de uma proposta que merece ser melhor explorada.

Esse astro imenso pode ter se aproximado algumas dezenas de quilômetros da superfície da Terra, a uma altitude suficiente para não queimar na atmosfera, mas bastante próximo para que ela interferisse na velocidade com a qual o cometa viajava.

Sido “atropelados” pelo cometa e ficado incrustrados em seu corpo poroso e gelado – de onde seguiram viagem pelo Universo protegidos da radiação cósmica. E, ainda segundo a teoria dos astrofísicos, depois de deixar o Sistema Solar, o astro pode ter chegado a outro sistema planetário após milhares de anos vagando pelo cosmos e colidido com algum exoplaneta habitável, semeando-o com os micróbios terrestres.

Depositado organismos da Terra em outros planetas. No entanto, de acordo com os cálculos de Siraj e Loeb, pelo menos a parte em que os micróbios escaparam daqui em rochas espaciais pode ter ocorrido, sim, inclusive dezenas de vezes.

Também se sabe que o Sistema Solar recebe a visita de cometas vindos dos confins do Universo vez ou outra, e é possível que, no passado, um ou mais deles tenha passado pertinho da Terra.

Porosas, o que significa que microrganismos que tenham colidido com elas poderiam muito bem ter ficado alojados em seu interior, onde ficariam mais protegidos dos rigores do espaço, e a Ciência já identificou uma variedade de micróbios extraordinariamente resistentes.

Postar um comentário

0 Comentários